Zoonoses orienta sobre caramujos africanos

0
1843

O caramujo africano é uma praga que invade dos centros urbanos, sobretudo no Verão. Diferente do verdadeiro escargot, que é bem menor e tem a concha quase redonda, o caramujo africano é grande e escuro e, quando adulto, pode medir 15 centímetros de comprimento e pesar 200 gramas. Possuem grande capacidade de reprodução, realizando até quatro posturas por ano, com 50 a 400 ovos. Depositam os ovos em cantos de paredes, frestas no solo e em locais com bastante umidade. Em grande quantidade, se tornam pragas e devastam plantações e hortas.
Quando os caramujos gigantes estão contaminados por parasitas, podem causar doenças graves como angiostrongilíase-meningoencefálica humana (doença que causa fortes e constantes dores de cabeça e distúrbios no sistema nervoso) e angiostrongilíase abdominal (pode causar perfuração intestinal, peritonite e hemorragia abdominal).

FORMAS DE CONTAMINAÇÃO:
“Ingestão de caramujos;
“Ingestão de alimentos contaminados com o muco dos caramujos;
“Manipulação dos caramujos.
Para evitar a contaminação dos alimentos, mergulhe as verduras, frutas e legumes em uma mistura contendo uma colher de sopa de água sanitária em um litro de água. Espere de 15 a 30 minutos e enxágue bem antes de comer.
É importante explicar que o número de caramujos aumenta sempre depois das chuvas e a melhor forma de controle é a catação manual. A captura deve ser feita nas primeiras horas da manhã e no final da tarde, quando os caramujos saem para comer.

COMO FAZER O CONTROLE:
“Para realizar a catação, as mãos devem estar protegidas com luvas ou sacos plásticos para evitar o contato com o animal.
“Os caramujos recolhidos devem ser colocados em um balde com uma mistura de água e sal (a quantidade ideal de sal deve ser colocada até a água ficar branca). Os caramujos devem permanecer na solução até que todos morram. Em seguida, devem ser colocados em uma sacola plástica resistente e depositados no lixo comum (coleta pública).
“Recolher também os ovos, que ficam semienterrados, e proceder da mesma forma usada para os animais coletados.
“Os caramujos e ovos recolhidos também podem ser mortos com solução de cloro, três partes iguais de água para uma de cloro, mas devem ser deixados totalmente cobertos por essa solução durante 24h, antes de serem descartados.
“Só colocar no lixo, tendo a certeza de que estão realmente mortos, senão vão se proliferar no lixo também.
“Para facilitar o recolhimento e fazer com que os caramujos se concentrem em um local no terreno, pode-se usar “armadilhas”. Para montá-las, é preciso estender um plástico em baixo de uma planta ao entardecer com cascas e pedaços de frutas e legumes e, ao amanhecer, a maioria dos caramujos estarão na armadilha atraídos pelo alimento.
“Manter os terrenos e quintais carpidos e não deixar restos de capina, alimentos, lixo, entulho ou excesso de plantas, pois podem servir de criadouros para o caramujo.
O trabalho do Setor de Zoonoses é passar informações e orientações sobre os cuidados e como combater esse molusco, porém, a responsabilidade de eliminação e o recolhimento dos mesmos são do proprietário da residência ou terreno.
Setor de Zoonoses- Rua da Fazendinha, n° 333, Centro
Fone: (15) 3288-4110, Ramal 1316
E-mail: zoonoses@cerquilho.sp.gov.br

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA